quinta-feira, 21 de agosto de 2014

PREFEITO LAERTE PAIVA ASSINA TERMO DE COMPROMISSO REFERENTE AO PLANO DE CARGO E SALÁRIO DA EDUCAÇÃO


Sensação de segurança dura pouco

Durou pouco tempo a sensação de segurança e a reação eficaz da Polícia Militar contra os assaltos no sistema de transporte coletivo. Menos de três dias após o início da “Operação Saturação”, os bandidos voltaram a agir com violência e, em menos de 10 horas (entre 21h de terça-feira e 6h da quarta-feira), três assaltos a ônibus foram registrados. No mais violento deles, os criminosos atiraram e o motorista ficou ferido. Trabalhadores do setor temem o pior, pedem empenho dos policiais e ameaçam abandonar os empregos. Polícia afirma que abordagens vão continuar. Ontem, mais uma operação foi realizada na Avenida Bernardo Vieira.

O clima entre motoristas e cobradores que atuam no sistema de transporte público de passageiros em Natal é de apreensão e revolta. Os crimes registrados nos últimos dias – vários assaltos e homicídio de um motorista – revelam que a insegurança predomina no setor. A “onda” de crimes expõe ainda a fragilidade da segurança pública que, mesmo determinando uma ação específica para evitar tais crimes, não consegue dar a resposta esperada pela sociedade.


A ousadia dos bandidos desafia a força policial e a estratégia de resposta montada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed). Na manhã de ontem, dia 19, o ônibus que faz a linha 77 (Mirassol/Parque dos Coqueiros) foi alvo de uma dupla de bandidos. A ação foi registrada na Avenida dos Expedicionários, em Parque dos Coqueiros, por volta das 6h. Um dos bandidos anunciou o assalto na parada do ônibus enquanto o outro aguardava em outro ponto da avenida. A menos de cem metros do local, há um posto da PM que, no momento da ocorrência, segundo testemunhas, estava vazio.

Os casos de violência que têm como pano de fundo o sistema que é utilizado, diariamente, por mais de 500 mil passageiros, se repetem ao longo dos anos. Não é difícil encontrar motoristas, cobradores ou usuários que foram vítimas de bandidos que agem em ônibus que circulam em Natal ou entre outro municípios. Às vezes, a mesma pessoa foi vítima mais de uma vez.

É o caso do motorista Marcos Antônio, 38 anos. Há quatro anos trabalhando na empresa Nossa Senhora da Conceição, o motorista foi assaltado 18 vezes. Em 18 episódios, Marcos foi abordado por bandidos que exigiam dinheiro, celular e outros pertences. A última investida dos criminosos foi registrada na noite da última terça-feira, dia 19. “Não penso em desistir de trabalhar porque eu sou motorista. É a única coisa que sei fazer. É um risco que tenho que correr”, contou. 

O risco que Marcos Antônio teme é o mesmo que está afastando o também motorista Gleifson Costa, 36 anos, da profissão. São seis anos dedicados à profissão e oito boletins de ocorrência (BOs) como prova dos perigos que já enfrentou. “O primeiro assalto foi há três anos. O último, foi em junho passado. Já são oito assaltos. Não aguento mais. Minha ideia é procurar outro emprego”, disse. A família apoia a decisão dele. “Quando acontece esses crimes, como a morte do companheiro semana passada, minha esposa fica louca em casa. Minha mãe já ligou dizendo para eu deixar essa vida”, contou ele.

Rotina de estresse e medo

O motorista João Muniz, 42 anos, passou 12 anos atuando condutor de ônibus sem nunca ter sido vítima de um assalto. Em julho desse ano, porém, ele foi assaltado pela primeira vez enquanto trabalhava. Ontem, mais uma vez, o motorista esteve na mira de bandidos durante o assalto ao ônibus da linha 77, no Parque dos Coqueiros. Emocionado, ele relatou o caso e disse que temeu pela própria vida. “Ele [o bandido] disse que ia meter bala na minha cara”, disse. João Muniz conduzia o ônibus da linha 77, na Avenida dos Expedicionários, realizando a primeira viagem do dia. O ônibus estava cheio, com aproximadamente 80 passageiros. Foi quando um bandido armado adentrou o veículo entre os passageiros e anunciou o assalto. “Era umas 6h, minha primeira viagem. Saí do terminal e, cinco paradas depois, aconteceu o assalto”, contou. Levaram dinheiro do cobrador e alguns objetos dos passageiros. 

O bandido que entrou no ônibus tinha um comparsa que aguardava do outro lado da avenida. Toda a ação durou menos de 10 minutos e aconteceu a menos de 100 metros de um posto policial. Segundo a PM, a dupla que agiu contra o ônibus teria efetuado outros assaltos, no mesmo dia, na avenida Paulistana. Até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso.


Bom Pastor
Dezoito. Esse é o número de vezes que o motorista Marcos Antônio, 38 anos, foi assaltado enquanto exercia a profissão. Há  17 anos ele é motorista, no entanto, no sistema de transporte público de passageiros, em Natal, atua a apenas quatro anos. Antes, dirigia caminhões e, nessa atividade, nunca foi abordado por bandidos. “Todos os assaltos foram quando estava com passageiros no ônibus”, contou. 

Ontem à tarde, a TRIBUNA DO NORTE foi à casa de Marcos. Ainda abalado, ele contou que a última ação dos bandidos foi registrada na terça-feira, dia 19. Era pouco mais das 21h e ele conduzia o veículo com aproximadamente 50 passageiros na avenida Bom Pastor, no bairro que leva o mesmo nome. “Quando parei em uma parada, os dois rapazes anunciaram o assalto. Um estava armado e ficou na porta da frente. O outro, desarmado, entrou pela porta de trás e recolheu os celulares e outros objetos dos passageiros”, lembrou.

Marcos disse que os dois bandidos aparentavam ter menos de 18 anos. O assaltante armado era o mais violento. “Ele ficou com a arma apontada para mim o tempo todo. Pedia meu celular e dizia que ia me matar. Eu implorei para ele não me matar. Fui humilhado”, contou.


Goianinha
O motorista Carlos Benedito de Souza, 52 anos, está prostrado em um leito de hospital. Ele não pode fazer muitos gestos e evita falar para ter uma recuperação mais rápida. Natural de Belém-PA, Carlos é mais uma vítima da violência que assusta o Rio Grande do Norte. Na noite da última terça-feira, o ônibus de turismo que ele conduzia pela BR-101, na altura do município de Goianinha, foi abordado por dois bandidos. Durante a ação, houve troca de tiros e Carlos acabou baleado. “Minha sorte é que estava de costas, senão, estaria morto”, lembrou. 

O veículo conduzido por Carlos trazia 52 comerciantes de  Santa Cruz do Capibaribe, agreste de Pernambuco, com destino a Fortaleza, no Ceará. Os bandidos interceptaram o ônibus usando um carro modelo Land Rover, de cor prata. Mesmo com  a tentativa dos assaltantes de parar o veículo, o condutor seguiu o trajeto por um tempo. “Mas eles vieram para frente do ônibus e tive que parar. Eles tentaram entrar no ônibus, mas nosso segurança reagiu e atirou”, contou.

Carlos de Souza foi submetido a uma cirurgia e, na noite de ontem, esperava a visita do médico para saber quando seria liberado. A esposa dele está a caminho de Natal. “Quero voltar para minha casa”, resumiu o motorista.


Tribuna do Norte

Jovem de 18 anos é assassinado a tiros em Caiçara do Norte


Um crime de homicídio foi registrado na noite desta quarta-feira(20) na cidade de Caiçara do Norte. Segundo informações, um jovem de 18 anos de idade, identificado como Hudson, foi assassinado com quatro tiros na entrada do conjunto residencial Santa Rita.
Populares disseram que a vítima ainda chegou a gritar chamando pela mãe e caiu próximo a casa da avó que estava na casa de vizinhos e começou a chorar e gritando: “mataram meu neto”.
O blog recebeu informações de que três pessoas teriam  sido presas pelo GTO de João Câmara no trevo de acesso ao município.

Informações do blog Informática e fotos

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Inscrições abertas no ProUni

Começaram, na última segunda-feira, dia 18, as inscrições para as vagas remanescentes do Programa Universidade para Todos (ProUni), da edição do segundo semestre. O candidato deve manifestar interesse pela internet, na página do ProUni. Esse procedimento é novo e as regras foram publicadas pelo Ministério da Educação na última sexta-feira, dia 15.

Podem participar os candidatos que se inscreveram, em todas as opções, em cursos cujas turmas não foram formadas, e os professores da rede pública que estiverem exercendo o magistério da educação básica.


Os prazos de inscrição variam conforme a situação do candidato. Vai até 7 de setembro para o estudante não matriculado no curso da instituição de educação superior em que deseja se inscrever para a bolsa remanescente ou, até o dia 1° de dezembro, para o aluno já matriculado.

A partir de hoje, dia 20, as inscrições serão abertas para os candidatos que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir da edição de 2010 e obtido, em uma mesma edição, no mínimo 450 pontos na média das notas das provas e nota na redação que não seja 0. Também nesse caso, o prazo vai até 7 de setembro para os que não têm matrícula e 1º de dezembro para os já matriculados.

A instituição terá o dia útil seguinte ao final do prazo de comparecimento do candidato para registrar o resultado da comprovação das informações no Sistema Informatizado do ProUni (SisproUni). Caso o estudante não compareça ou a instituição não registre o preenchimento da bolsa, a mesma voltará a ser oferecida pelo sistema.

O ProUni concede bolsas de estudo integrais e parciais nas instituições privadas de ensino superior. As integrais são para os estudantes com renda bruta familiar, por pessoa, até um salário mínimo e meio. As bolsas parciais são destinadas aos candidatos com renda bruta familiar até três salários-mínimos por pessoa.

O bolsista parcial poderá utilizar o Fundo de Financiamento Estudantil para custear o restante da mensalidade. No caso dos professores, é dispensada a comprovação de renda e a participação no Enem.

Tribuna do Norte

Três ônibus são assaltados em menos de 12h

Pouco mais de dia após o início das blitze para inibir a ação de criminosos em Natal e Região Metropolitana, os bandidos voltaram a atuar. Entre ontem e hoje (20), pelo menos três assaltos ocorreram em transportes coletivos. Em um dos casos, inclusive, houve troca de tiros com os bandidos e um motorista foi ferido.

Na noite de ontem, um motorista de um ônibus que transportava sacoleiros entre Pernambuco e o Ceará foi alvejado por bandidos na BR-101, próximo à entrada do município de Arês. Os criminosos tentaram interceptar o ônibus utilizando um carro modelo EcoSport, decor prata. O motorista se recusou a parar e os bandidos abriram fogo contra o ônibus, atingindo o condutor no abdômen. No entanto, um homem que realizava a segurança dos comerciantes abriu fogo contra os bandidos, que tiveram o assalto frustrado.

O condutor foi socorrido pelos passageiros e outro motorista que seguia no veículo levou o ônibus até Hospital Deoclécio Marques, em Parnamirim. O motorista foi atendido e, pela manhã de hoje (20), já estava consciente, sem risco de morte. A Polícia Rodoviária Federal fez diligências pela região, mas não localizou os criminosos.

Ainda ontem, um ônibus da linha 22 foi assaltado por uma dupla armada. Os bandidos adentraram o ônibus, que faz a linha entre Felipe Camarão e Rocas, separados. Enquanto um subiu pela porta da frente, outro subiu pela porta traseira, quando anunciaram o assalto. Eles recolheram os pertences dos passageiros, o dinheiro recolhido pela empresa e fugiram a pé. Ninguém foi preso.


Já por volta das 7h de hoje, mais um assalto. Dois criminosos armados chegaram até o ônibus da linha 77 (Parque dos Coqueiros-Centro), na zona Norte de Natal, e anunciaram o crime. Em uma moto Traxx de cor azul, os bandidos renderam o motorista que transportava quase 80 passageiros. Os criminosos levaram o dinheiro apurado durante o dia pela linha, mas não há a confirmação se os criminosos levaram também pertences dos passageiros. Após o crime, eles fugiram para destino ignorado.  

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Nastagnam Batista, disse que está acompanhando os casos, vai ouvir os motoristas e que vai acompanhar o desenrolar da situação. "A situação já está saindo do controle", disse.


Tribuna do Norte

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Henrique critica atraso de salários dos servidores públicos


O candidato do PMDB ao Governo do Estado, Henrique Alves, criticou em entrevista ao RN 2ª Edição, da Intertv Cabugi, o atraso de salários para os servidores públicos por parte do Governo do Estado. “O Estado está atrasando o pagamento do servidor público. Se chegou a esse ponto, como vai ter dinheiro para o investimento em segurança, por exemplo? É uma situação muito difícil, que precisará de um grande pacto para ser resolvida”, aponta Henrique.

Dilma se recusa a comentar comportamento de petistas diante do mensalão

Do UOL – Em entrevista na noite desta segunda-feira (18) ao “Jornal Nacional”, a presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff, se recusou a comentar o comportamento da militância do PT diante do julgamento do mensalão. A mandatária foi questionada pelos apresentadores do telejornal sobre a atitude dos petistas, que trataram os condenados como “guerreiros”. “Eu sou presidente da República, não faço nenhuma observação sobre julgamentos realizados pelo STF (Supremo Tribunal Federal) por um motivo simples: a Constituição exige que o Presidente da República e os demais chefes do poder que respeitemos e consideramos a autonomia desses órgãos”, afirmou.
Dilma foi interrompida pelo apresentador William Bonner, que a lembrou que o questionamento dele referia-se ao comportamento da militância, e não da Suprema Corte. Na resposta, mais uma vez Dilma não quis fazer comentários. “Eu não vou tomar nenhuma posição que me coloque em confronto e conflito ou aceitando ou não. Eu respeito a decisão do STF. Isso não é uma questão subjetiva.”
A presidente também foi confrontada sobre casos suspeitos de corrupção em seu governo, entre eles os que resultaram na troca de ministros, e questionada sobre “qual é a dificuldade de se cercar de pessoas honestas”. Dilma respondeu que seu governo foi “o que mais estruturou mecanismos de combate a corrupção” e que a Polícia Federal (PF) ganhou “imensa autonomia” para investigar.
Ainda sobre os casos de corrupção nos ministérios, Dilma disse que “”nem todas as denúncias de escândalo resultaram realmente na constatação de que a pessoa tinha que ser punida e condenada”. “Pelo contrário, muitos daqueles que foram identificados como tendo praticado atos indevidos foram inocentados”.

Robson Pires