sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Desemprego cresce e chega a 6,5%, pior resultado em 4 anos




A taxa de desemprego no Brasil cresceu para 6,5% em 2013. De acordo com a Pesquisa por Amostra de Domicílios (Pnad) divulgada nesta quinta-feira (18) pelo Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE), a taxa de desocupação ou desemprego aumentou 0,4 ponto percentual em 2013 na comparação com 2012. Esse é o primeiro aumento desde 2009.

O dado se refere à quantidade de pessoas desocupadas – que procuraram por emprego no período, mas não conseguiram – em relação à população economicamente ativa. Em termos absolutos, a quantidade de pessoas desocupadas passou de 6,25 milhões para 6,7 milhões do ano passado frente ao ano anterior, crescimento de 7,2%.

A região Norte foi a que apresentou a maior alta em taxa de desocupação em 2013, com índice de desempregados de 7,3%. A quantidade absoluta de desocupados cresceu 0,8%. Já o Nordeste e o Sul registraram os aumentos em termos de população ocupada: 1,2% e 0,9%, respectivamente.

Homem morre ao ser atropelado por ambulância do Samu em Parnamirim

Um homem identificado como Nailson Robson Guedes de Moura, de 27 anos de idade, morreu na tarde desta quinta-feira(18) após ter sido atropelado por uma ambulância do Samu Metropolitano.

Segundo informações, a vítima tentava atravessar a BR 101 em Parnamirim quando foi atropelado pela ambulância que estava com as sirenes ligadas e conduzia uma pessoa ferida para Natal.

Os enfermeiros do Samu ainda tentaram prestar socorro à vítima, no entanto ela não resistiu e morreu na hora.

Assis Silva

Propaganda de Dilma ultrapassa limites(Editorial)

O Globo

A entrada de Marina Silva nas eleições presidenciais de maneira fortuita, devido à morte trágica de Eduardo Campos, era tudo o que o PT não queria.

Não interessava aos petistas que a ex-ministra e ex-senadora conseguisse constituir seu partido, a Rede, a tempo de entrar na disputa de 2014. Ninguém esquecera os 20 milhões de votos arrebanhados por Marina em 2010.

Parece ter faltado competência aos marineiros para conseguir todas as 492 mil assinaturas de eleitores e registrar a Rede nos prazos legais. Mas, embora reclamações tenham sido arquivadas, sempre existirão suspeitas de interferências alopradas em cartórios eleitorais do ABC, onde milhares de assinaturas foram glosadas.

Uma trapaça do destino colocou Marina na corrida presidencial, na cabeça da chapa do PSB, e o medo petista se confirmou. Como reza a tradição da legenda, o partido preparou agressiva campanha contra Marina. Mas ultrapassou todos os limites: da ética, da seriedade, do cinismo.

Antigas armas têm sido acionadas pelos marqueteiros petistas. A do medo, até mesmo usada contra Lula em 2002, logo foi colocada para funcionar. Marina se esquivou com agilidade, ao se comparar a Lula, a quem defendeu naquela campanha, quando era militante petista, futura ministra do Meio Ambiente.

Mas o rolo compressor petista cresceu, tão logo foi constatado que manobras que funcionaram contra tucanos — apresentados pelo PT como perigosos “privatistas” — seriam inócuas contra a ambientalista e ex-petista. 

DataFolha: Dilma lidera no 1º turno e Marina no 2º turno


Pesquisa realizada pelo instituto Datafolha, divulgada nesta sexta-feira pelo jornal “Folha de S.Paulo”, mostra que a presidente Dilma (PT), candidata à reeleição continua na liderança da corrida eleitoral, aumentando de três para sete pontos percentuais a vantagem sobre a candidata do PSB, Marina Silva.

A petista tem 37% das intenções de voto, com o crescimento de um ponto percentual em relação à última sondagem divulgada no dia 10. Já a candidata do PSB, Marina Silva, apresentou queda de 33% para 30%, enquanto o ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves (PSDB) subiu de 15% para 17%. Votos brancos e nulos somam 6%. Entre os entrevistados, 7% não sabem em quem vão votar.

Segundo o Datafolha, "é a segunda vez que Marina tem oscilação negativa em suas intenções de voto desde que entrou oficialmente na disputa".

Em uma simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, as duas aparecem tecnicamente empatadas. A candidata do PSB tem 46% e a do PT, 44%. Na semana passada, Marina, com 47%, e Dilma, com 43%, também estavam tecnicamente empatadas.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal "Folha de S.Paulo". O Datafolha fez 5.340 entrevistas em 265 municípios nestas quarta e quinta-feira. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00665/2014.

Globo

RN tem a 6ª pior distribuição de renda

O Rio Grande do Norte possui a sexta pior distribuição de renda do Brasil. Mais de 68% das famílias potiguares sobrevivem com até três salários mínimos por mês, enquanto  pouco mais de 4% das famílias concentram rendimentos que podem chegar a mais de 20 salários mínimos. Os números colocam o RN na 18º posição quanto ao rendimento familiar. Além disso, somos o segundo Estado com a maior taxa de população desocupada do país – 11%. Os dados foram revelados ontem, dia 18, com a publicação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A medida que avalia o grau de concentração da riqueza é apontada pelo Índice de Gini. Desenvolvida pelo estatístico italiano Corrado Gini, o índice calcula a desigualdade de distribuição de renda e consiste em um número que varia de 0 a 1. Zero corresponde à perfeita igualdade e 1 à desigualdade máxima. Em 2013, o RN obteve valor de 0,521. O número é maior que o resultado do ano passado, quando o Estado obteve índice de 0,504. Ou seja, a desigualdade aumentou no RN.

O pior resultado foi apontado para o Estado do Piauí – 0,566. A melhor posição ficou com Santa Catarina – 0,436. Nacionalmente, a média é de 0,498. A região que apresentou a pior média, ou seja, o maior nível de desigualdade, foi o Nordeste – 0,523.

Os números do Índice Gini podem ser melhor compreendidos quanto analisados outros dados apontados pelo PNAD/2013. O Rio Grande do Norte possui 1.116.000 famílias. A maior parte(892.000, ou seja, 80%) reside na zona urbana. As demais 224.000 famílias (20%) estão na zona rural.


O estudo apontou o rendimento mensal familiar. Trinta e três mil famílias sobrevivem apenas de doações ou benefícios sociais e não têm qualquer tipo de renda. 68,3% das famílias potiguares, ou seja, 745 mil grupos familiares, possuem renda mensal de até três salários mínimos: R$ 2.172,00. No entanto, o valor do rendimento médio mensal das famílias do Estado é de R$ 2.145,00 distribuído da seguinte forma: R$ 2.359,00 (zona urbana) e R$ 1.293,00 (zona rural).

Taxa de desocupação
No ano passado, a população potiguar ocupada com 15 anos ou mais de idade totalizou 1,464 milhão de pessoas, o que não representou crescimento com relação a 2012. A população ocupada masculina foi de 882 mil pessoas e a feminina de 582 mil. O PNAD apontou ainda que a população economicamente ativa (PEA) – proporção de pessoas ocupadas na população em atividade ativa – foi de 61,8%, em 2012, e 61,2%, ano passado.

Em um ano, o número da população desocupada subiu ano passado. O salto foi de  68 mil pessoas. Em 2012, eram 112 mil pessoas sem ocupação e, em 2013, esse número ficou em 180 mil. O resultado colocou o Rio Grande do Norte com a segunda pior taxa de desocupação do Brasil – 11%. Em 2012, essa taxa era de 7,1%.

Uma destas pessoas desocupadas é a, agora, dona de casa Milene da Silva, 31 anos. Ela está desempregada há mais de um ano. Mãe de quatro filhos, ela depende da renda do marido para se manter. “Estou procurando emprego. Deixei currículos em algumas empresas e espero ser chamada o mais rápido possível. Fui chamada para entrevista e estou confiante. É muito ruim estar desempregada”, contou.

Moradora do bairro Mãe Luíza, Milene disse ainda que não é a única na situação de desocupada. Na rua onde mora, há outras pessoas sem trabalho e renda. “Muita gente está sem trabalhar. A maioria, aqui, apenas cuida dos filhos”, explicou. O marido de Milene é pintor autônomo e recebe, mensalmente, aproximadamente R$ 1 mil.






quinta-feira, 18 de setembro de 2014

FESTA DE ENCERRAMENTO DOS 19 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE RIO DO FOGO


E na última quarta-feira, 17 de setembro, ocorreu o encerramento da grande festa de Emancipação Política de Rio do Fogo. A festa contou com a participação das bandas: Forró do Pega, Forró do Japa e o mais que esperado Acácio, o ferinha da Bahia.

Além da população local também participaram da festa pessoas advindas de toda a região do Mato Grande e Litoral, o público lotou a Praça dos Pescadores e as ruas circunvizinhas, portanto não seria nenhum exagero afirmar que faltou chão pra tanta gente.

Diversas autoridades do município também compareceram a festa, a saber: o prefeito Laerte Paiva, a primeira dama Shirlene Maia, além de vereadores e secretários da administração municipal.

A noite foi regada a muita música, diversão e alegria. A população em geral elogiou a organização e execução do evento que foi, sem sombra de dúvidas, o melhor aniversário que Rio do Fogo já teve.


Parabéns Rio do Fogo!

Foto: Jailson Macedo

Banda Forró do Pega








Acácio: o ferinha da Bahia








Banda Forró do Japa

Brasil vence a Rússia e garante classificação

Dependendo de uma vitória para avançar no Mundial de Vôlei, a Seleção Brasileira deu conta do recado e venceu a Rússia com tranquilidade por 3 sets a 0 na tarde desta quarta-feira, com parciais de 25/22, 25/20 e 25/21. O duelo contou com o retorno de Murilo, poupado na derrota contra a Polônia por causa de dores musculares. Com o resultado em Lodz, os comandados de Bernardinho garantiram vaga na semifinal do torneio.

Wallace, Bruninho, Sidão, Lucão, Murilo, Lucarelli e o líbero Mário Jr. começaram em quadra. A Rússia saiu na frente no primeiro set, mas o Brasil se manteve encostado no placar (4 a 4) e logo virou (8 a 6). Durante todo o período, a Seleção conseguiu explorar o bloqueio e cravar a bola no chão dos adversários, mantendo distância considerável no placar (15 a 13). Mas liderados pelo gigante Dmitriy Muserskiy, os russos se aproximaram (19 a 18) e logo empataram com bloqueio de Pavlov em Vissoto (20 a 20).

Lucarelli anotou um ace e anulou o bloqueio adversário, anotando dois pontos, mas errando um saque (22 a 21). Sidão, do meio da rede, cravou bola no chão. Rapha levantou para Murilo na esquerda e voando, o jogador explorou o bloqueio adversário e deixou o Brasil a um ponto defechar o set. Com bom ataque, Ilinyhk diminui a diferença, mas Apalikov sacou para fora e o Brasil venceu o primeiro set em 25 a 22.

O início do segundo set foi bem equilibrado. O Brasil se mantinha na frente.